Li na Net: ‘Roubar’ fotos de bebés no facebook, A Ciência das Birras e Escolher o Que Fazer da Vida

Esta semana: o amigo paranóico afinal tinha razão – há pessoas que vão roubar as fotografias dos vosso filhos do facebook e as fazem passar como se fossem delas no Instagram. (mas não são assim tantas como isso). Mais, um artigo extra-longo sobre birras e ‘orientação vocacional done right‘.

The Disturbing Facebook Trend of Stolen Kids Photos – Yahoo Parenting

Que tipo de lunático utiliza fotografias de bebés ou crianças que alguém colocou nas redes sociais, e as coloca no Instagram numa espécie de exercício humorístico(?) de roleplaying (#babyrp, #kidsrp)? Não dá para perceber ao certo, o artigo é um bocado vago, e baseado num exemplo anedótico. Mas, aparentemente, acontece:

“Nashville mother Ashley B (who prefers to remain anonymous) suffered a similar experience, typically referred to as “digital kidnapping” or “virtual kidnapping” this past summer when the hobbyist photographer clicked on the Facebook update that a photo she’d taken of one of her daughters, aged 3 and 6, had been shared by someone unfamiliar. “It took me to the page of a man in China,” Ashley tells Yahoo Parenting. “The page was in Chinese and I couldn’t read any of it but I saw that he had a few thousand followers and he had shared my picture.” Ler o artigo

 

Why Does My Kid Freak Out? – Slate

Temos tendência para achar que quem sofre realmente com as birras das crianças somos nós, mas não é preciso para pensar muito no assunto para perceber quem é que está mesmo a sofrer é a criança. Imaginem que um dia chegavam ao trabalho e o vosso chefe passava o tempo todo a dizer “esse rato não é para usar” “não toques nessa mesa” “já não te posso ouvir”. Ok, isso era só estranho. Este artigo que faz um bom apanhado daquilo que vamos sabendo e descobrindo sobre esse incontornável aspecto do crescimento.

“As five experts on child psychology recently explained to me, toddlers’ irrational behaviors are a totally understandable reflection of their inner turmoil and frustrations. In sum, their world is turning upside down and they don’t yet have the skills to handle it. Tantrums don’t mean your kid is a spoiled brat or needs therapy; tantrums mean he is normal.” Ler o artigo

 

“I don’t know what I want to do in life” – Reddit

Não é bem um artigo, é um comentário sobre decidir o que se quer fazer na vida deixado num tópico sobre “problemas na adolescência” no Reddit. É um exercício muito simples mas bem pensado, de começar por pensar no nosso “dream job” e ir desenhando os vários caminhos para lá chegar (dica: não é sobre o destino, mas sim sobre a viagem). Talvez seja mais útil que muitos testes psicotécnicos e sessões de orientação vocacional.

“You are going to map as many possible routes to get to that really cool thing. The best way to figure this out is to look up people who have done that really cool thing. Read their wiki, or their bio, and figure out how they got to where they are. Figure out their path to doing that really cool thing. Then write it down, step by step, in little bubbles. Connect the bubbles from “[your name], 2014″ to the really cool thing at the top of the page. Eventually, you should have at least 3 possible paths to get to the top of the page.” Ler o comentário.

E agora? Podem ir à página dos melhores posts (escolhidos por mim), subscrever o blogue por e-mail (se forem esse tipo de pessoa), ou fazer 'gosto' na página do Facebook e ter acesso a mais paisanices:

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*